quinta-feira, 30 maio, 2024
HomeCidadesLula exalta chegada de águas do São Francisco a milhares de pernambucanos:...

Lula exalta chegada de águas do São Francisco a milhares de pernambucanos: “para todos”

Presidente acompanha em Arcoverde a inauguração da Estação Elevatória de Água Bruta (EEAB) de Ipojuca e do trecho Belo Jardim – Caruaru da Adutora do Agreste de Pernambuco

“Ninguém acreditava que fosse possível fazer a transposição do São Francisco. O Brasil tem o direito de fazer a transposição para trazer água a milhões que vivem no semiárido”. A frase do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta quinta-feira, no município de Arcoverde, em Pernambuco, resume a importância da inauguração da Estação Elevatória de Água Bruta (EEAB) de Ipojuca e do trecho Belo Jardim – Caruaru da Adutora do Agreste de Pernambuco.

Todo mundo tem direito de tomar um banho em um chuveiro gostoso, lavar roupa numa máquina.

 O estado de Pernambuco terá água para todo mundo se fartar, bebendo, tomando banho, cuidando dos animais e da nossa agricultura”
Luiz Inácio Lula da Silva presidente da República

A obra integra o maior sistema integrado de adutoras de abastecimento humano do Brasil e um dos maiores do mundo. Quando todo o projeto estiver finalizado, serão 1.500 quilômetros de adutoras que levarão mais de quatro mil litros por segundo de água da transposição do Rio São Francisco para abastecimento da região.

Atualmente, seis municípios já são atendidos pela Adutora do Agreste. A inauguração da Estação Elevatória amplia a lista para nove. O abastecimento regular será expandido de 190 mil para 615 mil pessoas. A estação elevatória é essencial para a finalização da primeira etapa do projeto.

 A estrutura permite que, até 2026, 23 municípios e 1,3 milhão de pessoas sejam interligados ao sistema nos municípios de Arcoverde, Pesqueira, Alagoinha, Sanharó, Belo Jardim, Tacaimbó, São Bento do Una, São Caetano, Caruaru, Bezerros, Gravatá, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Brejo da Madre de Deus, Pedra, Venturosa, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Águas Belas, Iati, Cachoeirinha e Lajedo.

“Ver as águas da transposição do São Francisco chegando cada vez mais longe, levando esperança e vida nova a mais pessoas, é um misto de emoção e de sensação de dever cumprido. Fizemos a escolha certa, 21 anos atrás, quando nos comprometemos a tirar do papel esse projeto”, avaliou o presidente.

“É por isso que eu quero não só o meu Pernambuco, mas a Paraíba, o Rio Grande do Norte, o Ceará, a Bahia, todos os estados, não apenas com irrigação, mas com a política de água para todos. Todo mundo tem direito de tomar um banho em um chuveiro gostoso, lavar roupa numa máquina. O estado de Pernambuco terá água para todo mundo se fartar, bebendo, tomando banho, cuidando dos animais e da nossa agricultura”, ressaltou.

BELEZA – Falando em nome da comunidade de Arcoverde, Deise Oliveira comemorou a conclusão de mais uma etapa do projeto. “A gente vivia numa situação bem precária por água e hoje o senhor está aqui a inaugurar essa beleza no nosso município. A gente só tem a lhe agradecer”, celebrou a pernambucana.

A gente vivia numa situação bem precária por água e hoje o senhor está aqui a inaugurar essa beleza no nosso município”
Deise Oliveira, líder comunitária em Arcoverde

O evento em Arcoverde foi prestigiado por centenas de moradores e por diversos parlamentares e autoridades, entre elas a governadora de Pernambuco, Raquel Lyra; o prefeito de Arco Verde, Wellington Maciel; os ministros Rui Costa (Casa Civil), Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos), Luciana Santos (Ciência, Tecnologia e Inovação), Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Waldez Góes (Desenvolvimento Regional), além da primeira-dama, Janja.

“Antes, a adutora transportava apenas 200 litros de água por segundo para seis municípios. Com esta elevatória a gente vai saltar para uma capacidade de 4.800 litros por segundo, dos quais 600 litros por segundo já serão disponibilizados para chegar em Brejo Madre de Deus, São Caetano e Caruaru, atendendo aí quase meio milhão de pessoas. O projeto da Adutora do Agreste pode beneficiar mais de dois milhões de pessoas. Estamos na primeira etapa, que já está quase 80% pronta. A segunda está prevista no novo PAC”, detalhou Waldez Góes.

SONHO – A governadora de Pernambuco, Raquel Lyra, falou sobre a importância da Estação Elevatória e fez questão de agradecer a todos os que se empenharam para a conclusão da obra. “A conquista é do povo de Pernambuco, que sonhou e lutou muito para que isso pudesse acontecer. Aqui tem muita gente que nunca teve o direito de tomar um banho em pé. A gente suplica por carro-pipa para ter 200 litros de abastecimento numa cisterna ou dentro de uma caixa d’água. Não é justo que a gente esteja no século XXI e tenha pessoas que ainda vivam em condições como essa”, afirmou Raquel Lyra.

O prefeito de Arcoverde também celebrou o avanço. “Hoje é um dia de grande importância para Pernambuco. Essa Adutora do Agreste, essa elevatória, que agora faz parte dela, é a obra do século do nosso estado. É a obra de Pernambuco”, frisou Wellington Maciel.

COMPLEXO – O projeto da Adutora do Agreste de Pernambuco compreende um sistema composto por unidades de captação, adutoras de água bruta, estação elevatória de água bruta, reservatório de água bruta, estação de tratamento, adutoras de água tratada e estações elevatórias de água tratada.

O Governo Federal já investiu mais de R$ 1,2 bilhão no projeto, enquanto o estado, como contrapartida, aplicou R$ 200 milhões. A primeira etapa compreende 790 quilômetros de tubulações, além de três obras complementares de captação e interligações para fornecimento antecipado de água ao sistema. A segunda etapa ainda está em fase de contratação. Quando for concluída, o sistema adutor pernambucano vai beneficiar um total de 2 milhões de habitantes em 68 municípios.

ABASTECIMENTO – O Censo 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE apresentou um retrato do abastecimento de água no Brasil. A rede geral de distribuição foi registrada em 60,8 milhões de domicílios, onde residiam 167,5 milhões de pessoas (82,9% da população). O percentual é superior ao registrado no Censo de 2010 (81,5%).

O poço profundo ou artesiano foi a segunda forma principal de abastecimento, aparecendo em domicílios que representam 9% da população. Na sequência, aparecem poço raso, freático ou cacimba (3,2%) fonte, nascente ou mina (1,9%). Juntas, as quatro formas, consideradas adequadas para fins de monitoramento do Plano Nacional de Saneamento Básico (PLANSAB), atendiam 96,9% da população em 2022.

Na outra ponta, encontram-se o abastecimento por “carro-pipa” (1,0%), rios, açudes, córregos, lagos e igarapés (0,9%), e água da chuva armazenada (0,5%), enquanto um conjunto de 0,6% da população utilizava principalmente outras formas de abastecimento.

DIFERENÇAS – Segundo o IBGE, o país apresenta diferenças regionais na forma de abastecimento de água. Enquanto no Sudeste o percentual de moradores com rede geral era de 91,0%, no Norte esse percentual foi de 55,7%, e no Nordeste, de 76,3%. O Nordeste apresentou as maiores proporções da forma de abastecimento “carro-pipa” (3,5%), sendo a forma de abastecimento principal predominante em 68 municípios da região. O Norte foi a região que apresentou as maiores proporções da população utilizando, principalmente, as formas de abastecimento poço profundo ou artesiano (24,3%) e poço raso, freático ou cacimba (11,8%).

ENCANADA – Segundo o Censo 2022, em 69,3 milhões de domicílios, nos quais moravam 192,3 milhões de pessoas (95,1%), a água chegava encanada na residência. Para 2,5% da população, a água chegava encanada, mas apenas até o terreno. Para os outros 2,4%, a água não chegava encanada.

Matéria envida pela assessoria de comunicação do Ministerio de Minas Energias

Isaias Dutra
Jornalista Isaias Dutra e editor Chefe do Gazzeta Paulista
Artigos Relacioanados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos

Comentários Recentes