sábado, 25 maio, 2024
HomeCidadesTaboão da Serra: Jornalistas, políticos e lideranças se despedem de Gonzaguinha

Taboão da Serra: Jornalistas, políticos e lideranças se despedem de Gonzaguinha

Morreu na madrugada deste domingo, dia 7, o jornalista Luiz Bezerra da Silva, conhecido como Gonzaguinha. Ele foi uma das figuras mais importantes do jornalismo de Taboão da Serra e região nos anos 80, 90 e início de 2000. Ironicamente, ele morre no Dia dos Jornalistas.

A morte de Gonzaguinha repercutiu em Taboão da Serra. Diversos políticos, jornalistas e lideranças comentaram o falecimento do polêmico jornalista.

O Portal O Taboanense ouviu diversos relatos sobre a sua morte e publica aqui a repercussão neste domingo.

Prefeito Aprígio
“Conheci o Gonzaguinha e em diversas oportunidades fui entrevistado por ele. Sempre teve uma forma mais crítica de fazer jornalismo, mas nunca faltou com respeito e sempre procurou a verdade. Que Deus o receba de braços abertos, minhas condolências a família”.

Mário Aparecido,

editor do jornal Folha do Pirajuçara
“Gonzaguinha começou na profissão nos anos 80 com o jornalista Rogério Dipolt, no jornal Metrópolis. Nos anos 90, dirigiu o jornal dos Funcionários Públicos de Embu das Artes e depois criou o jornal O Alternativo, que teve sucesso pelas suas matérias polêmicas e contundentes. No jornal Bem-ti-Ve estreou a coluna Gregos e Troianos, coluna repaginada da famosa As Pasquinianas.

Como ser humano era preocupado em combater qualquer tipo de violência com seu semelhante. Tinha seus defeitos, mas tinha suas qualidades.

Eu, com meus defeitos, são tão perfeitos que minhas virtudes são defeituosas. Não posso falar nada de mal de um amigo que partiu hoje.

 Só posso agradecer a Deus por ter feito dele uma das páginas mais importantes da minha vida. Passamos bons momentos juntos, ele foi perseguido por político, pelas pessoas poderosas.

Ele foi ameaçado de morte, teve que se refugiar fora de Taboão da Serra. Agora ele deve estar lá com Mário Henrique [colunista social], com o Ademir [Jornal O Povo], com o Ademir [jornalista do Tá na Mídia]. Se pudesse sintetizar o Gonzaguinha, ele sempre foi, é, e sempre será polêmico e contundente na sua forma de encarar o jornalismo, o maior legado que ele deixa é o jornalismo corajoso, audacioso, mas sempre procurando mostrar a verdade dos fatos”.

Mário de Freitas,

jornalista e secretário de governo
“É da natureza dos jornalistas liberais a luta pela liberdade de expressão. Em que pese a formação funcional, Gonzaguinha, como era conhecido, lutou pela imprensa livre, e pela simples razão de que elas têm muito a mostrar. O jornalismo sério como sua prática política, é violentada pelo sistema. Jornalistas e veículos que denunciam o regime são alvos preferenciais do arbítrio. Não é diferente em Taboão da Serra e região. É com muita tristeza que recebo essa notícia. Que meu amigo tenha uma passagem digna, como merece”.

Márcio Amêndola,

 jornalista e fundador do jornal Fato Expresso
“Foi um doido completo de uma inteligência afiada. Um grande amigo. Eu ria muito com ele. Uma vez falou pra mim, na época em que fui ameaçado de morte por minhas reportagens:
– Amêndola, você é completamente louco!
E eu respondi: – Olha quem fala!
Ele só caiu na gargalhada”.

EDUARDO TOLEDO | PORTAL O TABOANENSE

Gonzaguinha durante cobertura de evento na Câmara Municipal de Embu das Artes

Walter Parreira, jornalista “Recebi a notícia do falecimento do jornalista Luiz Bezerra Gonzaga, carinhosamente chamado de Gonzaguinha, através do editor do jornal “O Taboanense”, Eduardo Toledo. Minha primeira reação diante da notícia foi relembrar a prática jornalística polêmica e opinativa pela qual Gonzaguinha era conhecido, uma prática que conquistava amigos e, ao mesmo tempo, criava desafetos. Gonzaguinha era um amigo próximo, alguém que defendia com fervor as posições que assumia. Sentiremos muito a sua ausência, assim como sentiremos a falta da paixão com que ele exercia sua profissão. Estou aqui, meu companheiro de jornada, e espero que você descanse em paz. Sua escrita impactou profundamente muitas pessoas. Sentiremos saudades”.

Ex-vereador Paulo Félix
“Gonzaguinha foi um jornalista brilhante, ativista político, de esquerda, presidente do PT em Taboão da Serra e eu tive a oportunidade de ter conversas com ele nos botequins da vida, falando sobre revolução, cultura e arte, e claro, jornalismo, que era o que ele mais amava, onde ele fez muitos amigos e inimigos também. Gonzaguinha levou a vida do jeito que ele quis, contestando a sociedade, desvendando fatos, esmiuçando fatos, que se tornaram públicos graças a sua atuação jornalística”.

Ex-vereador Olívio Nóbrega
“Durante anos o Gonzaguinha cobriu a política de Taboão da Serra. Não era unanimidade, pelo contrário, sempre fazia questão de ser polêmico. Pela democracia, respeitamos todas as formas contrárias de pensar e ele deixa um legado para o jornalismo de Taboão da Serra, da sua forma, ficará marcado na nossa história”.

Ex-vereador Fenólio
“Que triste notícia ! Luiz Bezerra, o Gonzaguinha, foi destacado cronista nas páginas dos jornais locais. Com sua extrema visão social e estilo aguçado,  Gonzaguinha não poupava críticas aos políticos e administradores descuidados e sem compromissos com as boas e corretas práticas  no desempenho de suas funções. Meu abraço solidário aos familiares e amigos. Que Gonzaguinha descanse em paz”.

Ex-vereador Said Jorge de Moraes
“Lamentável notícia. Conheci, convivi, sempre polêmico, crítico dos políticos, mas era uma pessoa de grande conceito, bom jornalista, mesmo não poupando as pessoas da área política. Lamento sua morte, deixou um legado de boas reportagens em Taboão da Serra. Tem meu reconhecimento. Lamento seu desaparecimento, meus sentimentos”.

Luiz André Cynbaluk, amigo e liderança política
“Gonzaguinha sempre viveu em meio a polêmicas, mas sua mente afiada, sua inteligência, deixaram marcadas na memória de Taboão da Serra uma importante jornada jornalística. Como amigo, deixa saudades das conversas onde nós aprendemos muito com suas ideias e ideais”.

Isaias Dutra, Jornalista do Gazzeta Paulista

“Tive a imensa honra de trabalhar com Gonzaguinha na refundação do Jornal alternativo onde fui Fotografo e membro do conselho editorial e com o Mestre pude aprender ouvir dois lados da notícia com sempre imparcial e polemico dizia pra mim não gosto de andar com ninguém duro então faça um de ir cobrar os anúncios.”

Matéria cedida pelo Portal o TABOANENSE

Isaias Dutra
Jornalista Isaias Dutra e editor Chefe do Gazzeta Paulista
Artigos Relacioanados

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -spot_img

Mais Lidos

Comentários Recentes